quinta-feira, 19 de julho de 2012

Evangelho



Estamos de volta,

Depois de um longo período de silencio aqui neste espaço, estamos voltando as atividades, neste período muitas coisas aconteceram: os 30 anos, a vinda de um filho ( um menino kkkk) que juntando com a idade, me faz rever certos pensamentos que norteiam a minha vida. As minhas observações do espiritual que me cerca e as demonstrações de um mundo que é invisível, mas latente no visível: o mundo de Deus.

Não sei se isso acontece com todos os homens mas um filho nos mostra muita coisa encoberta aos nossos olhos, vendo o mundo com mais calma percebo que certas guerras travadas em nome do evangelho são fúteis e que a verdade e que de uma forma ou de outra a vontade de Deus sempre vai prevalecer, independente das aspirações humanas de usufruir negativamente da graça de Deus, o objetivo dela a graça vai sempre se concretizar, digo isso vendo muitas vezes como os homens vendem Deus como se fosse mercadoria, como um livro de autoajuda apenas um suvenir para espantar o mal olhado. Mas, mesmo assim vejo agora o que nítido o que é claro, mas estava cortinado aos meus olhos: “O que importa e o nome de Jesus, seja anunciado”.

De fato temos que impedir o avanço distorcido de certos movimentos que apenas servem de banco para seus lideres, mas algo que se torna ainda pior é a guerra que se faz seja na internet ou em qualquer outro lugar de grande acesso, lideres contra lideres de um mesmo entendimento, as tomadas de territórios que se assemelham as guerras de chefes de trafico, disputas que levam a óbito almas ainda na puberdade da vida cristã. Não me tornei alienado as verdades da bíblia e sei que a verdade tem que ser defendidas, mas, me pergunto: “ Todos estão contra todos” que evangelho e esse que dissemina a desunião e o ódio entre aqueles que um dia foram chamados a amar?

Sou  convicto do evangelho da graça sem meritocracia com Deus, sou convicto do céu e quero defender as verdades da bíblia sagrada, mas me preocupo com a graça de Deus, com as almas inocentes que procuram uma igreja não pela sua placa ou líder, mas pela necessidade de encontrar alivio para sua alma, descanso para suas dores. Essas almas buscam o Cristo do amor incondicional que deixa tudo por um perdido, estamos nos atendo às guerras cibernéticas pela primazia da verdade e nos tornando genocidas das almas que nos rodeiam, vamos depor as armas. Aos céticos lideres parem de lucrar com a necessidade aleia, deixe de atesourar ouro aqui na terra e tomem posse não do ouro daqui, mas das moradas eternas.

Aos que usam a net para defender a verdade usem-na pensando nas almas e na alma também do alvo de vossos ataques não à pessoa, mas ao seu erro lembrando que Deus abomina o pecado, mas ama o pecador, mesmo ele sendo contumaz (mas quem não é) se tem alguém imune a essa lei, que seja levado logo ao céu. As almas estão ai, doentes e cansadas querendo um abrigo das dores e violência, devemos nos unir e dar as mãos a está tão grande ceara que está a nossa frente, Deus é luz e vida aos cansados.

Xápiç Eirêneuô

Quero recuperar minha alma



Quero recuperar minha alma

Do que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? indagou Jesus. Já pensou quantas coisas nesta vida estão a roubar nossa alma? Já imaginou quantas futilidades estão a nos consumir e não nos damos conta? Meu Deus, deixo-me levar por tanta coisa inútil!

Quero recuperar a minha alma.

Às vezes, nossa rotina é tão esmagadora; o trabalho é só cansaço e estresse; os murmúrios que ouvimos são apenas reclamações, nossas e de outros. A insensibilidade começa a tomar conta de nossa alma. Tornamo-nos facilmente irritadiços, impacientes, indiferentes que não percebemos o outro ou o sopro do Espírito nas simples coisas, como o sorriso de um bebê.

Quero recuperar minha alma.

Às vezes, somos tragados por hábitos ruins que começam pequenos e vão se avolumando e tomam uma proporção avantajada em nosso ser que, quando nos damos conta, estamos presos numa teia difícil de soltar. A doença física, mental ou espiritual se instala. A vida se torna um cativeiro do qual é duro sair. E alma paga presa à terra e à lama.

Quero recuperar a minha alma.

Às vezes, focamos apenas nas coisas terrenas como se fossem as mais importantes. Dinheiro, poder, sucesso, fama, minha satisfação pessoal, a admiração dos outros, o estrelismo. Nos últimos dias de nossa vida, enfim, descobrimos que nada disso importa, nada disso traz conforto, nada disso traz esperança ante o destino final e irrevogável. E ainda assim nossa alma chafurda nessas frívolas coisas.

Quero recuperar a minha alma.

Às vezes, uma severidade nos toma de assalto. Colocamo-nos como padrão para as pessoas, portamo-nos como juízes do ser humano, tornamo-nos brutos, empedernidos. A rigidez cimenta o coração. A chuva caindo, o frio soprando, a flor desabrochando, a árvore mudando suas folhas, nada é capaz de nos sensibilizar, muito menos a dor do outro, a situação do outro.

Quero recuperar a minha alma.

Às vezes, as preocupações, o dia a dia, o corre-corre, o consumo desenfreado, os sonhos mirabolantes, os objetivos pessoais inatingíveis tornam-nos surdos e não ouvimos, e não percebemos, e não atentamos ao convite de Deus que vem a nós como uma brisa soprando, como um murmúrio de águas tranquilas nos chamando para perto dele onde verdadeiramente encontramos satisfação.

Quero recuperar a minha alma.

Quero a beleza da natureza. Quero a perfeição do canto coral. Quero a simplicidade das crianças. Quero descontração das conversas com os amigos. Quero as risadas com a família. Quero a glória dos momentos de louvor simples a Deus. Quero meus momentos a sós com o Pai. Quero ouvir sua voz acalentando meu ser. Quero sentir os seu braço a me envolver. Quero falar-lhe de minhas tristezas e senti-lo confortando-me. Quero perder o mundo mas ganhar a minha alma.

Quero a minha alma de volta. O caminho está apenas começando.

Alexsander Carvalho
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...